Aché planeja medicamento para o vitiligo em 2023 – Guia da Farmácia – Imã de geladeira e Gráfica Mavicle-Promo

Doença crônica da pele que afeta entre 1% e 2% da população mundial

O Vitiligo é uma doença crônica da pele, de origem auto-imune, que se caracteriza pela perda do pigmento, que afeta entre 1 a 2% da população mundial. A causa primária da doença está relacionada com a destruição seletiva de melanócitos nas lesões, possivelmente mediada por linfócitos T CD8+. Os melanócitos são responsáveis pela produção de melanina, o pigmento da pele. É uma necessidade médica não cumpre com impacto psicossocial devastador. Com um mercado estimado em cerca de US$ 2 bilhões, ainda não existe um tratamento seguro e eficaz aprovado para pacientes com vitiligo. As opções disponíveis, fototerapia e imunossupressão tópica, são o ponto u e reduzem-se ao controle sintomático da doença, com resultados limitados e fracos. Existe, portanto, uma enorme necessidade de novas terapias.

Atenta a este mercado, o Aché Laboratórios Farmacêuticos anunciou um investimento total de US$ 100 milhões em uma terapia experimental, que recebeu o aval da Europa para o início dos estudos clínicos com humanos, e pode chegar ao mercado em 2023.

Foco em medicamentos inovadores

A Bioprospera®, uma das principais Plataformas de Inovação do Aché, tem como objetivo a descoberta e o desenvolvimento de medicamentos inovadores a partir de fontes naturais, em especial da biodiversidade brasileira, que é a maior e mais diversificada do mundo. A plataforma baseia-se em duas abordagens para descobrir moléculas e extratos naturais ativos: Etnofarmacologia e Bioprospecção. Utilizando rigor científico, a primeira revela os efeitos farmacológicos e toxicológicos descritos para as plantas medicinais através da aplicação de técnicas bioanalíticas sistemáticas. Já na segunda, bioprospecção, começa com expedições de coleta de amostras de diferentes biomas. Aspectos como o cumprimento normativo, a rastreabilidade, o processamento, a repetição e de controle de qualidade são muito importantes, mas os recentes avanços na instrumentação analítica, juntamente com a crescente sofisticação de ensaios biológicos, foram o principal fator para o renascimento de uma tal abordagem.

A plataforma Bioprospera® foi entregue um caso de sucesso baseado em Etnofarmacologia. Lançado em 2004, o Acheflan®, um medicamento anti-inflamatório tópico que contém o óleo essencial de Cordia verbenacea, foi o primeiro produto farmacêutico inovador 100% brasileiro, totalmente desenvolvido no Brasil. Acheflan®, líder do mercado em sua categoria, se exporta atualmente em 13 países. Com base no legado deste produto, a plataforma Bioprospera® produziu o que pode vir a ser outro caso de sucesso, também em frente Etnofarmacologia: uma terapia experimental oral, que contém um extrato vegetal inovador, para o tratamento do vitiligo, que acaba de ser aprovado para começar os estudos clínicos em seres humanos na Europa.

O Aché é um dos líderes no mercado farmacêutico brasileiro, com receita líquida de mais de us$ 1 bilhão e mais de 300 produtos no portfólio. Para conquistar diferenciação no mercado e a internacionalização da empresa, o Aché vem ampliando seus investimentos em inovação ao longo dos anos, a saber, a infraestrutura, a estrutura organizacional, a cultura, os processos e as tecnologias, o que contribuiu para o aumento do nível de inovação da empresa e de sua canalização. A empresa foi reconhecida como a indústria farmacêutica mais inovadora do Brasil nos últimos cinco anos e está entre as 10 empresas mais inovadoras do País, quando todos os setores da indústria são considerados (ranking de “o Valor da Inovação”).

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

A Eurofarma e a UFRJ criam cooperação para medicamentos inovadores

Compartilhar:

Fonte: guiadafarmacia.com.br/halle-planeja-medicamento-para-vitiligo-em-2023

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *